2 de nov de 2009

Lula é Progresso


A partir de janeiro de 2010, todos os carros movidos a óleo diesel no Brasil terão de utilizar uma mistura de 5% de biodiesel em seu combustível. O anúncio foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que decidiu antecipar em três anos a obrigatoriedade do uso da mistura, mais conhecida como B5. A medida deve elevar a produção de biodiesel para 2,4 bilhões de litros no próximo ano, reforçando a posição do País na liderança mundial em energias renováveis em escala comercial.
A nova mistura ajudará o País a reduzir a importação de diesel, combustível mais caro e poluente. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) já havia aprovado a elevação do percentual de mistura de 2% para 3%, em julho de 2008, e de 3% para 4%, a partir de julho de 2009. Essas medidas possibilitaram o desenvolvimento dessa nova indústria que está se consolidando no País.
Capacidade instalada - Hoje, as 43 usinas instaladas em todas as regiões do Brasil terão a garantia da existência de um mercado cada vez maior. A capacidade instalada é mais do que suficiente para o B5, 3,6 bilhões de litros/ano, e 92% com Selo Combustível Social, que é o instrumento utilizado pelo governo federal para propiciar a participação combinada da agricultura familiar e do agronegócio na cadeia produtiva do biodiesel.

“Se formos cuidadosos, podemos chegar a B20. As locomotivas já são testadas e produzidas para B20, e a indústria automobilística já está testando o B20”, afirmou o presidente.

De acordo com o ministro de Minas e Energia e presidente do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), Edison Lobão, a determinação do governo representa um grande avanço no Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel. “Passaremos a ter um combustível limpo nos centros urbanos e nas rodovias que ao mesmo tempo gera emprego e renda para a população mais carente com a agricultura familiar”, afirmou o ministro.

Mistura B5:

- A antecipação poderá colocar o Brasil como 2º maior produtor mundial, somente atrás da Alemanha (hoje somos 4º: 1º Alemanha, 2º Estados Unidos e 3º França).
- Há capacidade instalada suficiente (3,6 bilhões de litros/ano), sendo que 92% têm Selo Combustível Social. São 43 usinas com a seguinte distribuição regional de capacidade: N=5%, NE=19%, CO=33%, SE=18% e S=25%.
- Mesmo aplicando-se um fator de segurança de 20%, que limita a oferta a 2,9 bilhões de litros/ano (80% de 3,6), a capacidade é mais do que suficiente.
- O desempenho dos produtores nos leilões é positivo. A performance de entrega está acima de 95%. Não há mais problemas de entrega que aconteceram no passado.
- O mercado de distribuição está preparado para operar com B5.
- Este momento de decisão do B5 contribui para balizar corretamente o plantio na nova safra, a se iniciar em breve, inclusive para propiciar que as usinas façam mais contratos com a agricultura familiar.
- Os fabricantes de veículos, motores e peças já dão garantia para B5.
- O impacto no preço ao consumidor será pequeno (+0,5%) e compatível com a própria oscilação semanal de preços de posto a posto.

Fonte: Portal do Governo Brasileiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário