21 de set de 2009

VEREADOR CHARLES MEIRA PRESENTE NO LANÇAMENTO DO PROGRAMA POLÍCIA AMIGA EM CARPINA

Cel. José Lopes e o Vereador Charles Meira

O vereador Charles Meira, se fez presente no lançamento do Projeto Polícia Amiga, em Carpina. A apresentação se deu na Igreja Mãe Rainha, no Jardim Neopolis onde será também atendido o Bairro Novo.


O idealizador do programa foi o próprio Cmte. Geral da PM Cel. José Lopes, onde o mesmo apresentou os detalhes de como será o trabalho da PM, junto a comunidade. Na ocasião a comunidade ganhou uma viatura que ficará a disposição daqueles bairros e chegarão mais duas motos para dar apoio.


A ideia do programa é promover uma maior e melhor integração da Polícia Militar com a comunidade. Entre seus objetivos está propor a realização de um policiamento comunitário, realizar o enfrentamento das causas de violência nos bairros e orientar os líderes comunitários para o alcance do bem coletivo.

Os policiais que compõem o efetivo do Programa Polícia Amiga são capacitados no mínimo com os cursos de polícia comunitária, direitos humanos, relações interpessoais, mediação de conflitos e informática. Com o trabalho, a tendência é diminuir os índices de violência nas comunidades e estimular a participação da comunidade na luta pelos interesses coletivos.

16 de set de 2009

VEREADOR EXIGE QUE NOVA PRAÇA TENHA ACESSO PARA DEFICIENTES FÍSICOS


O vereador Charles Meira entrou através de requerimento junto a prefeitura do Carpina, para que seja colocado acesso para deficientes físicos na praça da Av. Getulio Vargas, onde foi inaugurada dia 10 de setembro. O vereador falou em seu requerimento da falta de respeito com essas pessoas que se por ventura quiserem frequentar o local, teram de se arriscar entre os veículos no asfalto.

É inadimissível nos dias de hoje construir praças e prédios públicos sem acesso a deficientes, venho cobrando a muito tempo junto a prefeitura que faça o rebaixamento em alguns pontos nas praças de Carpina, e nos prédios públicos, pois até mesmo a prefeitura não tem acesso para deficiente, e mesmo assim não foi atendido. É revoltante como a prefeitura não se importa com os portadores de deficiência, é uma vergonha, desabafa Meira.

11 de set de 2009

CARPINA SÓ SE AMA UMA VEZ, A PRIMEIRA E PARA SEMPRE

É assim que é amada a minha terra que fica entronizada num planalto a 184 m do nível do mar. Descoberto pelo português Martinho Francisco de Andrade Lima por volta do ano de 1870. Vindo de Portugal aqui se instalou para desenvolver sua profissão de carpinteiro, cobiçada pelas áreas de mata virgem aqui existente, ergueu nessa chã a sua moradia à margem do caminho que cortava a dita chã em demanda do Recife onde vivia da sua profissão.
Começou a ficar conhecido o local como chã do carpina, pelos viajantes que por ali transitava. Tinha como única vizinha a D. Aninha, que comerciava banana, jaca, fumo, aguardente, mel etc. Passaram-se os tempos e a chã começou a ficar conhecida e outras pessoas também começaram a construir casas de taipa para se fixar no local, explorando a agricultura. O comércio foi crescendo deixando de ser prioridade de D. Aninha, o clima, um dos mais excelentes, cobiçava a todos. Em 1881 foi aberta a estrada de ferro para Limoeiro e logo depois para Nazaré da Mata, fazendo-se o entroncamento na chã. Veio o desenvolvimento, sucediam-se as construções, crescia a população.
Em 1836 o Sr. João Batista de Carvalho, um dos moradores mais antigos da chã, tomou a iniciativa de desapropriar roçados, enfrentando sérias oposições, a fim de construir uma praça, hoje denominada de Praça Joaquim Nabuco. Em seguida foi criado o distrito no ano de 1901. Daí começaram a alvorecer os primeiros anseios de liberdade. Em 1908 o trem de ferro, puxado por uma Maria Fumaça, parava na estaçãozinha do planalto, conduzindo a comitiva presidencial em demanda à Paraíba. O Presidente Afonso Pena era recebido com festa. Em dado momento surgiu da multidão um fedelho de 13 anos para fazer uma saudação ao ilustre mandatário. E o fez com garbo. Era o menino Assis Chateaubriand, foi comentário de todas as reuniões. O velho Tota também morador antigo da Chã, convocou um grupo com finalidade de erigir um monumento para perpetuar o fato. E, com a presença do inglês Dr. Rowlison, o professor Chateaubriand, o tribuno Batista de Carvalho, o Capitão Osvaldo Freire, o Dr. Guerra, o farmacêutico José de Lima, o vigário Melo, surgiu a idéia de se erguer um pedestal simbólico encimado por um leão que ainda existe como notícia da época, na Praça São José.
O movimento de libertação começou a tomar vulto e, 1909, o distrito filho de Paudalho e Nazaré da mata, foi elevado a categoria de Vila, com a denominação de Floresta dos Leões. Não parou aí a luta de seus amigos para rebentar os grilhões que atavam o progresso deste planalto promissor . Após várias lutas políticas em 11 de setembro de 1928, recebeu a vila Floresta dos Leões as bênçãos da Lei. Ficamos independentes, mas, esquecido o velho carpinteiro Martinho Francisco. Quando em 1938, o historiador Mário Melo estudando a origem dos nomes e tradições das cidades pernambucanas, fez juz aquele que foi o desbravador da floresta Planaltina. Voltou a Floresta dos Leões a denominar-se Carpina, perdendo somente o prenome de Chã. Esta é um pouco da história desta cidade que nós amamos.
CHARLES MEIRA

8 de set de 2009

VEREADOR CHARLES MEIRA FAZ HOMENAGEM A SUCESSOR DE D.BOSCO


O vereador Charles Meira, homenageou o sucessor de D.Bosco, Padre Pascual Chávez Villanueva, quando da sua passagem a Carpina, onde esteve visitando a Escola Salesiana Padre Rinaldi. O vereador mostrou-se bastante emocionado em falar que até hoje aplica os ensinamenots de D.Bosco no seu dia-a-dia. Padre Pascual também sentiu bastante alegria de ser tão bem recepcionado em Carpina. O reitor -mor dos Salesianos é de naturaliadade mexicana, mas mora em Turim na Itália, onde D.Bosco viveu.

2 de set de 2009

A Maior Torcida de Pernambuco é do SPORT


O Institudo Maurício de Nassau, entidade ligada à faculdade de mesmo nome, divulgou nova pesquisa de opinião sobre a preferência dos pernambucanos por clubes de futebol.
Assim como já afirmaram empresas como Ibope e Vox Populi, a torcida do Sport mostrou-se maior do que Santa Cruz e Náutico, com 26,4% da preferência dos entrevistados. Estas, inclusive, sequer superam o Leão quando somadas. A do Santa tem 15,7%, e a do Náutico, 8,0%.

Rubro-negros fazem bela festa no Estádio dos Aflitos.
Pesquisas como estas são o reflexo da realidade na qual convivemos, especialmente na Região Metropolitana do Recife: a nação Rubro-negra domina da mais humilde escola pública à mais cara Universidade privada. Só não vê quem não quer.
Ressalto que trabalhos assim utilizam avançadas técnicas de estatística desde a escolha da região de abrangência, passando pela definição da amostra e finalizando com o cálculo de índices de confiabilidade (margem de erro e nível de confiança).

Maldita realidade concreta

Luciano Siqueira

Publicado no portal Vermelho www.vermelho.org.br

Sobre a necessidade de se considerar a realidade como ela é, e não como a idealizamos, já se disse e se escreveu muito. Dependendo do estado de humor ou do ambiente, se austero ou descontraído, tanto podemos citar Plekhanov, para quem se deve lutar “com as quatro patas assentadas na realidade” ou o amigo poeta e ex-companheiro de cadeia Marcelo Mário de Melo, que costuma dizer que o problema de uma certa esquerda atuante no país é justamente “a maldita realidade, que teima em mudar”.

O fato é que, quando se trata da política real, todo e qualquer comportamento apoiado tão somente em nossos desejos, por mais legítimos e meritórios que sejam, sem a devida consideração do curso objetivo dos acontecimentos, está fadado ao fracasso. Ou ao estéril doutrinarismo.

Nesses dias turbulentos em que a crise do Senado esteve (ou ainda está?) no centro de tudo, o PT virou saco de pancadas tanto de quem a ele se opõe frontalmente (as correntes de oposição), como de muitos que, embora permaneçam na área de influência petista (e de Lula) aproveitam a onda para sair bem na foto.

Tem de tudo. Desde a tese de que Sarney terá se tornado o divisor de águas entre o PT “ético” e o PT “pragmático”, até os que – como o Frei Beto, em sua breve passagem pelo Recife – chegam a cobrar do presidente a responsabilidade por não ter erradicado a pobreza nem realizado reformas fundamentais.

Não se trata de contestar as boas intenções do religioso amigo de Lula, nem medir a dimensão do seu desencanto com o Partido dos Trabalhadores. Mas é preciso sublinhar que acabar com a pobreza no Brasil é empreitada que extrapola em muito os limites do governo, pois reclama transformações de caráter estrutural. E as reformas – diria cá com meus botões de militante do PCdoB -, sejam elas a seis essenciais e urgentes (agrária, educacional, tributária, urbana, política e da mídia) dependem muito mais do que da vontade e do poder de fogo atual do presidente.

Na verdade, reformas dessa envergadura só se viabilizam com uma inversão na correlação de forças ora existente na sociedade brasileira. Ou seja, o estado em que se encontram as forças políticas e sociais que as desejam; as forças que a elas se opõem; e o grau de adesão da maioria da população. Esse é um dado da “maldita realidade concreta” que não podemos abstrair, sob pena de não sincronizarmos desejos com possibilidades e de desconhecer a variável acúmulo de forças por parte dos que querem efetivamente avançar nas reformas.

Muitas das dificuldades atuais que limitam o governo Lula repousam precisamente na dita correlação de forças, que impele o PT a priorizar a aliança com o PMDB para assegurar a governabilidade e a maioria eleitoral necessária em 2010. E alterar a maldita realidade concreta.

Mudar isso exige mais do que opiniões difusas, exige muito trabalho cotidiano para elevar o nível de consciência e de organização do nosso povo – fator decisivo para alterar a correlação de forças numa direção mais avançada.

Riquezas do Pré-sal vão combater pobreza e promover educação e sustentabilidade

Comemorado como uma nova fase para a economia brasileira, o chamado Pré-sal foi lançado oficialmente nesta segunda-feira (31). As principais regras, por meio de Projetos de Lei, assinadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram encaminhadas para o Congresso Nacional.Entre os destaques anunciados está a criação da Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A - Petro-sal. Outro ponto foi sobre os lucros provenientes das descobertas, que terá uma parcela específica para um novo Fundo Social. Por meio do Fundo, as novas riquezas fomentarão o combate à pobreza, assim como o desenvolvimento da educação, cultura, ciência e tecnologia e sustentabilidade ambiental. Petro-sal - A empresa estatal será responsável pela gestão dos contratos de partilha e de produção celebrados pelo Ministério de Minas e Energia e a gestão dos contratos para a comercialização de petróleo e gás natural da União. A empresa, no entanto, não será responsável pela execução, direta ou indireta, das atividades de exploração, desenvolvimento, produção e comercialização de petróleo e gás natural. Caberá à Petro-sal o monitoramento e auditoria das operações, dos custos e preços de venda do que for explorado. A direção da Petro-sal será por meio de um Conselho de Administração e de uma Diretoria Executiva. O Conselho será constituído por representante do Ministério de Minas e Energia, do Ministério da Fazenda, do Planejamento, da Casa Civil e da Presidência da República, além de um diretor-presidente.Fundo Social - Todos os brasileiros serão beneficiados pelas riquezas exploradas pelo Pré-Sal. A maneira para que isso ocorra serão pelos investimentos do governo nas áreas sociais. Os lucros do petróleo e gás natural serão, em parte, destinados para um Fundo Social, vinculados à Presidência da República. Trata-se de uma reserva do governo.

Desculpem a falta de notícias, é que meu micro estava doente